O Tribunal de Chaves decretou a prisão preventiva aos dois suspeitos de terem matado e enterrado um jovem de 15 anos no quintal de uma moradia, naquela cidade do distrito de Vila Real, disse esta sexta-feira fonte policial.

Os dois suspeitos, uma mulher de 31 anos e um homem de 19 anos, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) e presentes a tribunal durante a tarde de quinta-feira, numa audiência que se prolongou até à madrugada de hoje.

Ambos vão aguardar julgamento em prisão preventiva e indiciados pelo crime de homicídio e de ocultação do cadáver de um rapaz que estava institucionalizado no Lar de Infância e Juventude, que pertence à Santa Casa da Misericórdia de Chaves.

O cadáver foi localizado no dia 4 de novembro de 2015, enterrado no jardim de uma vivenda, em Santa Cruz, na cidade de Chaves.

Os factos, segundo esclareceu a PJ, em comunicado, ocorreram em finais do mês de outubro, quando os suspeitos, “mediante plano previamente estabelecido e por motivo fútil, agrediram violentamente a vítima até à morte”.

A polícia fala num crime com “utilização de violência física extrema”, já que o jovem terá sido morto à pancada e o seu corpo posterirmente queimado, alegadamente para dificultar a identificação do cadáver.

Posteriormente, com a colaboração de dois jovens do sexo masculino e feminino, de 15 e 12 anos, respetivamente, procederam à ocultação do cadáver da vítima, que estava institucionalizada.

Os dois menores foram identificados pela PJ e sujeitos a medidas tutelares.

A PJ referiu que os suspeitos estão ainda indiciados por vários roubos “por esticão” e furto qualificado perpetrados nos últimos meses nas cidades de Lamego, Peso da Régua, Vila Real e Chaves.