A Polícia Judiciária está, nesta sexta-feira, a fazer buscas na sede da TAP e na Parpública, localizada junto ao aeroporto de Lisboa, confirmou a TVI.

A Procuradoria-Geral da República confirma as buscas realizadas no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público, em investigação no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Em causa estão suspeitas da prática dos crimes de administração danosa, participação económica em negócio, tráfico de influência, burla qualificada, corrupção e branqueamento. Os factos em investigação estão relacionados com o negócio de aquisição da empresa de manutenção e engenharia VEM", revelou a PGR em comunicado, acrescentando que "até ao momento, o processo não tem arguidos constituídos".

Já não é a primeira vez que o negócio da manutenção no Brasil levanta suspeitas e leva a diligências buscas por parte da Polícia Judiciária.

Em 2014, na sequência da intervenção da PJ, Fernando Pinto, presidente da TAP, foi ouvido na qualidade de testemunha.
 
A compra da antiga empresa de manutenção aérea da Varig foi feita em 2007. Mais tarde, a TAP comprou a posição da Geocapital, empresa que era controlada pelo empresário chinês Stanley Ho. O prémio pago a essa sociedade nunca foi bem explicado, com a TAP a dizer que foi autorizada pela tutela, mas com o Ministério das Finanças da altura a desmentir.