A Polícia Judiciária deteve dois homens em flagrante delito por burla informática e constituiu outros cinco arguidos, tendo ainda recolhido informações para a Europol que permitem a abertura de investigações noutros países.

Em comunicado, a PJ refere que as detenções foram realizadas entre os dias 6 e 16 deste mês e que a ação foi desencadeada no âmbito de uma operação internacional coordenada pela Europol.

A operação "E Commerce 2017” visava o combate a ilícitos praticados através da internet, nomeadamente a aquisição de bens em comerciantes, utilizando dados de cartões bancários adquiridos de forma fraudulenta.

Segundo a PJ, a ação visou a repressão deste tipo de ilícito e teve um aspeto preventivo com a divulgação do ‘modus operandi’ e cuidados a ter pelos utilizadores na aquisição de bens por esta via.

Em Portugal, além da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica da PJ e do Departamento de investigação e Ação Penal de Lisboa, participaram ainda a UNICRE e SIBS.