O homem de 57 anos detido pela Polícia Judiciária (PJ) da Guarda por suspeita de abuso sexual de quatro netas está proibido de contactar com as menores, disse esta sexta-feira à agência Lusa fonte policial.

Segundo a mesma fonte, o detido, que hoje foi presente ao Tribunal da Comarca da Guarda para primeiro interrogatório judicial, ficou sujeito às medidas de coação de apresentações semanais às autoridades policiais da sua área de residência e «proibição de contacto» com as netas e com as suas duas filhas.

O homem foi detido pela PJ da Guarda na quinta-feira, na localidade de Fornotelheiro, no concelho de Celorico da Beira, e não no município vizinho de Fornos de Algodres, conforme informação inicial prestada à Lusa por fonte daquela polícia.

Segundo uma nota do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, o homem está «fortemente indiciado da autoria de, pelo menos, quatro crimes de abuso sexual de crianças, praticados de forma reiterada, ao longo dos últimos anos».

«As vítimas são todas familiares do detido, possuindo idades compreendidas entre os 06 e os 13 anos», informou a PJ, indicando que os alegados abusos tiveram lugar «em meio sociofamiliar onde todos conviviam habitualmente».