Três homens e uma mulher foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) pela prática dos crimes de tráfico de pessoas, escravidão e ofensas à integridade física.

 

A investigação, desenvolvida pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da PJ, teve a colaboração do Ministério Público de Portalegre, região onde os factos ocorreram.

 

Os detidos, que pertencem à mesma família e com idades compreendidas entre os 20 e os 42 anos, são suspeitos de terem aliciado a vítima, de 23 anos, a desenvolver trabalho de motorista nas deslocações da família mediante pagamento de ordenado, o qual nunca veio a ser pago.

 

Segundo a PJ, a vítima foi também alvo de múltiplas agressões, de diverso tipo, durante o período de um ano.

 

«Face à coação física e psicológica em que permanentemente foi mantida, a vítima viu-se impedida de fugir aos suspeitos, já que não lhe era permitido circular livremente, ficando assim impedida de estabelecer quaisquer contatos com os seus familiares ou outras pessoas», relata a PJ.

 

Os detidos foram segunda-feira inquiridos em interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação, tendo ficado sujeitos a termo de identidade e residência, apresentações periódicas semanais e proibição de contatos coma vítima, noticia a Lusa.