Quatro estudantes, com idades entre os 16 e os 18 anos, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ), suspeitos de serem autores de várias dezenas de crimes de incêndio florestal, em Coimbra.

Em comunicado, a Diretoria do Centro da PJ informa que os jovens são os «presumíveis autores da prática de múltiplos crimes de incêndio florestal, ocorridos entre os dias 07 e 17 do passado mês de maio, na Escola Superior Agrária de Coimbra e nas suas imediações».

Segundo a PJ, os suspeitos agiram num «quadro de diversão e atração pelo fogo» e, «usando isqueiros, iniciaram cerca de 30 focos de incêndio florestal, causando incêndios florestais de pequena dimensão, mas que geraram grande alarme social na cidade».

A PJ acrescenta que os arguidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para a eventual aplicação de outras medidas de coação.