A Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção de um homem e de uma mulher pela presumível autoria de burla qualificada, relacionada com uma alegada empresa de exploração de diamantes de que diziam ser proprietários.

Em comunicado, a PJ acrescenta que os detidos desenvolveriam aquela atividade criminosa há «vários» anos.

«Concebendo um cenário de investimento numa suposta empresa de exploração de diamantes da qual o casal seria proprietário, os suspeitos aliciavam os ofendidos com a possibilidade de auferirem dividendos através de investimentos em empresas sitas em países estrangeiros», refere o comunicado.

Os detidos mantinham os ofendidos sempre na expectativa de poderem reaver o montante e dividendos, conseguindo assim «apropriar-se ilegitimamente» de cerca de 256 mil euros, «que gastaram em proveito próprio».

A PJ prossegue com as investigações no sentido de apurar eventuais outros ofendidos que tenham sido lesados com idênticas burlas pelos arguidos.

Os detidos, de 57 e 55 anos, vão ser presentes às competentes autoridades judiciárias para interrogatório e aplicação das respetivas medidas de coação.