A Polícia Judiciária de Setúbal deteve um homem e duas mulheres suspeitos de manterem sob sequestro e escravidão, pelo menos, quatro pessoas, na zona da Lourinhã.

Segundo um comunicado da PJ, os três arguidos, de idades compreendidas entre os 18 e os 41 anos, indiciados pelos crimes de sequestro, escravidão e tráfico de pessoas, abordavam indigentes e sem-abrigo da cidade de Setúbal, usando da força física ou aliciando-as com falsas promessas de trabalho, alimentação e habitação, pelo menos desde há três anos.

De acordo com a PJ, as vítimas, que eram depois transportadas para a Lourinhã, eram constantemente vigiadas e obrigadas a trabalhar para os arguidos, que não lhes permitiam abandonar o local ou contactar qualquer pessoa que as pudesse ajudar.

Além de obrigadas a efetuar diversas tarefas, sem qualquer remuneração como contrapartida, as vítimas eram também agredidas fisicamente e ameaçadas de morte, caso tentassem fugir ou recusassem trabalhar.

Apesar da vigilância constante, uma das vítimas conseguiu fugir depois de ter sido violentamente espancada, mas outras três pessoas foram encontradas pela Polícia Judiciária no interior de um contentor fechado pelo exterior, local onde viviam em condições degradantes, pelo que foram libertadas e entregues ao Centro de Acolhimento e Proteção a vítimas do tráfico de seres humanos.

Os detidos foram na quarta-feira presentes a primeiro interrogatório judicial, mas só o arguido do sexo masculino ficou em prisão preventiva. Para as duas mulheres foram decretadas as medidas de coação de apresentações bissemanais e proibição de contactos entre si e com os restantes intervenientes processuais.