A Polícia Judiciária deteve, em flagrante delito, três homens e duas mulheres suspeitos de rapto, extorsão agravada, ofensas à integridade física qualificada e roubo.

Em comunicado, a PJ avança que os cinco suspeitos, com idades entre os 44 e os 47 anos, são estrangeiros e que as detenções ocorreram na sequência de uma denúncia sobre uma pessoa que estava sequestrada.

Elementos da Unidade Nacional Contra Terrorismo da PJ conseguiram libertar a vítima e detiveram o grupo que se dedicava à de “ extorsão, usura, rapto, roubo e ofensa à integridade física qualificada”.

A PJ já tinha uma investigação às atividades de uma estrutura criminosa que se dedicava à prática de crimes de usura, roubo, extorsão e ofensa à integridade física qualificada, tendo por alvo vítimas que tinham em comum a nacionalidade e o vício do jogo.

Explica a polícia judiciária que “o ‘modus operandi’ desta estrutura passava pelo empréstimo de elevadas quantias monetárias, por períodos de tempo muito curtos, a jogadores que se encontravam em dificuldades financeiras momentâneas, mediante a cobrança de juros diários exorbitantes”.

Após o incumprimento dos pagamentos, ou perante a perda dos montantes emprestados, o grupo criminoso atuava sobre as vítimas com extrema violência, recorrendo também a raptos, como forma de as forçar à entrega de todos os bens de valor em sua posse e ainda de outros”, explica a polícia.

Após o primeiro interrogatório judicial, quatro dos detidos ficaram em prisão preventiva e um com termo de identidade e residência.