A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro anunciou a detenção de um funcionário da Câmara de Matosinhos que alegadamente se fazia passar por agente da PSP e que estaria envolvido na falsificação de notas de euros.

Além do crime de usurpação de funções, o detido, de 48 anos, está ainda acusado dos crimes de contrafação de moeda e falsificação de documentos.

A detenção ocorreu no seguimento de uma investigação iniciada no passado mês de junho, quando a PJ deteve um homem, de 39 anos, que estava a tentar pagar a conta num café, em Ílhavo, com uma nota falsa de 50 euros.

Na altura da detenção, o suspeito que tinha saído há poucos meses da prisão, encontrando-se em liberdade condicional, tinha na sua posse mais três notas de cinquenta euros e duas de cinco euros, todas falsas.

Segundo a PJ, os investigadores vieram a apurar que a falsificação tinha por origem a zona do Grande Porto e que envolvia um funcionário público que «se arrogava polícia, usando inclusivamente, no seu carro, sinais luminosos de uso exclusivo das forças de segurança».

O suspeito acabou por ser detido em flagrante delito na passada segunda-feira, no decorrer de buscas domiciliárias.

Durante a operação, as autoridades apreenderam uma carteira profissional da PSP, com o respetivo «crachá», um cartão profissional com o nome e fotografia do detido, um «Kit Strobe» azul e diverso material informático usado para a contrafação de moeda.

O detido foi presente hoje a primeiro interrogatório judicial tendo-lhe sido aplicada como medida de coação a obrigatoriedade de apresentações bissemanais num posto policial.