A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta quinta-feira, a detenção de duas mulheres suspeitas de pertencerem a uma rede criminosa que se dedica à falsificação de documentos e ao auxílio à imigração ilegal.

Em comunicado, a PJ refere que estas detenções ocorreram na sequência de uma operação policial, desenvolvida no mês passado, na qual foram detidas seis pessoas, sendo que quatro se encontram em prisão preventiva.

A polícia explica que a investigação, que decorre há vários meses, tem como objetivo desarticular uma rede criminosa que se dedica à atribuição ilegítima de nacionalidade portuguesa a cidadãos estrangeiros de origem africana.

Nesse sentido, as duas mulheres que foram agora detidas (38 e 39 anos) são suspeitas da prática reiterada de crimes de falsificação de documentos e auxílio à emigração ilegal.

Segundo a PJ, o procedimento utilizado por esta rede criminosa baseava-se «no estabelecimento inicial, no país de origem, de uma suposta filiação portuguesa, a partir da qual eram transpostos, para a ordem jurídica nacional, factos falsos, mas suportados em documentos verdadeiros».

As duas mulheres vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial, no qual serão aplicadas as respetivas medidas de coação.