A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção de três homens, com idades entre os 40 e os 42 anos, suspeitos de um crime tentativa de homicídio, em Montemor-o-Velho, em dezembro de 2012.

Os três detidos, residentes na zona da Figueira da Foz e integrantes de um grupo «motard», estão ainda indiciados por um crime de ofensas à integridade física e são suspeitos de terem agredido duas vítimas junto a um bar na zona de Montemor-o-Velho.

Fonte da Diretoria do Centro da Polícia Judiciária disse à agência Lusa que os três homens «estiveram no bar até tarde, beberam uns copos e provocaram algumas pessoas» que ali se encontravam, vindo a agredir «barbaramente» um cliente, no exterior, após o fecho do estabelecimento.

«Atiraram-no ao chão, pontapearam-no e a vítima teve de receber tratamento hospitalar», indicou.

De acordo com a mesma fonte, um familiar da vítima, ao tentar socorrê-la, foi alvejado por três tiros que, no entanto, não atingiram o alvo.

«Viu um dos homens levar a mão ao bolso, pensou que seria uma faca ou uma arma, e fugiu, mas ouviu três disparos na sua direção», revelou a fonte, acrescentando que a PJ foi chamada ao local pela GNR e a recolha de prova incluiu a análise dos impactos provocados pelos projéteis.

A fonte da Diretoria do Centro da Polícia Judiciária assumiu que existiram "algumas dificuldades" na investigação e a recolha de prova de um caso ocorrido há mais de um ano e meio, mas recentemente foi possível proceder a buscas nas residências dos três detidos, tendo sido apreendidas várias armas proibidas, como espingardas caçadeiras, carabinas, uma pistola de calibre 6.35 milímetros, soqueiras e um ¿spray¿ paralisante.

"Todos tinham armas em casa sem licença, na ordem das quatro armas proibidas cada um", frisou.

Os três detidos "estão unidos pelas motos" e pertencem, de acordo com a PJ, a um grupo "mais radical de motards, que cultiva o gosto por provocar outras pessoas e arranjar desacatos, quando em grupo".

"Quando estão sozinhos, são pacatos, trabalham", ilustrou.

Os três homens foram presentes a tribunal e vão ficar a aguardar julgamento sujeitos a apresentações periódicas às autoridades.