A Diretoria do Norte da Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção de quatro indivíduos “fortemente indiciados” de pelo menos sete roubos a funcionários de empresas, no momento em que se dirigiam a instituições bancárias para depósito de “avultadas” quantias em numerário.

Em comunicado, a PJ refere que os crimes ocorreram desde outubro de 2015 na zona norte do país.

Segundo o mesmo comunicado, as detenções ocorreram na sequência de “múltiplas” diligências de recolha de prova, que permitiram imputar aos suspeitos a presumível prática de “vários” crimes de roubo à mão armada.

“Os indícios apontam no sentido de este grupo ter efetuado, pelo menos, sete assaltos a funcionários de variadas empresas, nomeadamente de postos de abastecimento de combustíveis, supermercados e hipermercados, assim como a empresas de transportes, entre outros, com a apropriação em numerário e valores de montantes que rondam os 120 mil euros”, lê-se no comunicado.

Segundo a PJ, os suspeitos terão efetuado, na terça-feira, mais um assalto em Valença do Minho, “tendo roubado duas funcionárias de um supermercado quando se preparavam para depositar o apuro do fim de semana”.

No decurso da operação que permitiu deter o grupo, foram apreendidos os valores roubados neste último assalto, bem como armas de fogo, gorros, vestuário, luvas, viaturas e 'walkie-talkies'.

Os detidos são três homens e uma mulher e têm idades compreendidas entre os 33 e os 47 anos.

Residem no Grande Porto e Famalicão e exercem as profissões de feirante, canalizador, serralheiro e cozinheira.

Têm todos antecedentes por “crimes violentos contra a propriedade”.

Vão ser levados a tribunal, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das respetivas medidas de coação.