O busto do general Pires Veloso, também conhecido como "vice-rei do Norte", colocado na Praça da República, Porto, e inaugurado a 14 de setembro, foi alvo de vandalismo, tendo sido inscrita a palavra "fascista" na estátua.

Na obra concebida por Rogério de Azevedo, além da inscrição, também o rosto de Pires Veloso se encontra pintado com tinta verde, situação que a Câmara Municipal do Porto ainda desconhecia.

Em declarações à agência Lusa, fonte da Câmara Municipal do Porto informou que a autarquia "ainda não tinha conhecimento, mas, alertada, pediu para a situação ser avaliada e limpa", garantindo que hoje "será avaliado o que se passou e a estátua será limpa brevemente".

Pires Veloso nasceu em 1926, em Gouveia, e morreu em 2014, no Porto, aos 88 anos, tendo participado ativamente no golpe militar de novembro de 1975, chefiado por Ramalho Eanes e que pôs fim ao Processo Revolucionário Em Curso (PREC).

A peça serve como comemoração do 40.º aniversário de tomada de posse como Comandante Militar da Região Norte e foi colocada no jardim da Praça da República, tendo estado na inauguração o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e o ministro da Defesa Nacional, Aguiar-Branco.

Segundo disse o ministro na altura da inauguração, esta homenagem serve para lembrar "quem deu prioridade aos conteúdos, em detrimento da imagem, aquilo que tantas vezes acontece ao contrário nos tempos em que vivemos".

Todos os meses, o município do Porto limpa 14 mil metros quadrados de superfícies sujeitas a atos de vandalismo, como estátuas, fachadas e edifícios públicos, um trabalho "constante" que custa "muito dinheiro à autarquia", garantiu a mesma fonte da câmara.