Um helicóptero e quinze homens, divididos em cinco grupos, estão, esta quarta-feira a percorrer a possível rota que o montanhista português João Marinho, que se encontra desaparecido desde há uma semana na zona dos Picos da Europa, pretendia fazer.

De acordo com uma fonte da Guarda Civil de Gijon, Espanha, contactada pela agência Lusa, o grupo de resgate especial de intervenção em montanha está hoje a percorrer «uma parte da rota que possivelmente o jovem estaria a fazer, depois de na segunda-feira ter feito buscas numa outra zona da mesma rota».

João Marinho, atleta natural de Amarante, é adepto de desportos radicais e encontra-se desaparecido nos Picos da Europa, em Espanha, ao que tudo indica próximo de Pena de Santa de Castilla, entre a vertente de Leão e Astúrias.

O veículo de João Marinho foi encontrado pelas autoridades espanholas no estacionamento da Pousada de Valdeón, local onde tiveram início as buscas que continuam esta quarta-feira, depois do alerta do desaparecimento dado pela família, esperava que o montanhista regressasse a casa na sexta-feira.

Segundo disse à agência Lusa fonte da Guarda Civil de Gijon, além dos grupos de resgate de intervenção em montanha, encontram-se envolvidos nas buscas várias unidades de Cangas de Ónis, localidade onde foi dado o alerta do desaparecimento do português.

De acordo com a agência espanhola de notícias Efe, fontes próximas da equipa de buscas disseram que a documentação descoberta no computador portátil que o jovem deixou no interior do seu veículo apontavam que este tinha previsto fazer a rota denominada «anillo de los refúgios».