A Inspeção-Geral da Administração Interna indicou, nesta quinta-feira. estar a investigar as alegadas agressões de agentes policiais a um homem, em Mem Martins, concelho de Sintra, ocorrência que também está a ser investigada pela Procuradoria-Geral da República.

A queixa-crime, apresentada na Esquadra de Mem Martins, refere que após ter saído de casa de um amigo, e quando estava a chegar junto do prédio onde reside, o jovem apercebeu-se da presença de seis polícias apeados, supostamente do piquete da Divisão da PSP de Sintra.

Segundo o relato descrito na queixa-crime, a que a agência Lusa teve acesso, quatro dos polícias abordaram o ofendido, tendo um deles questionado “o porquê” de este não ir a correr: “Não tendo havido resposta, de imediato, dois deles [polícias] começaram a agredi-lo com os bastões, agressões essas desferidas na cabeça, na perna direita e na zona lombar”, relata o queixoso.

Como consequência das supostas agressões, o homem teve de receber tratamento médico no Hospital de Cascais, no qual deu entrada através do serviço de urgências, tendo esta unidade hospitalar tratado este episódio clínico como sendo fruto de "agressão".

Numa resposta escrita enviada à Lusa, a Inspeção-Geral da Administração Interna informa que, por despacho proferido, na terça-feira, pela inspetora-geral da Administração Interna, esta queixa-crime, apresentada na noite de 2 de janeiro na Esquadra de Mem Martins, “deu origem a um processo administrativo, no qual irão ser realizadas diligências no sentido do esclarecimento dos factos, de forma objetiva”.

A Procuradoria-Geral da República confirmou também “a existência de um inquérito” que teve origem na referida queixa-crime.