As buscas realizadas na quarta-feira pela Polícia Judiciária na Câmara de Barcelos relacionam-se com o “eventual favorecimento”, por parte daquele município, a uma empresa de segurança, disse esta quinta-feira à Lusa a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo a PGR, as buscas estenderam-se às instalações de duas empresas e a várias residências.

As buscas foram realizadas no âmbito de um inquérito do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Braga, iniciado em 2014.

A empresa de segurança em causa “prestava serviços” para a Câmara de Barcelos.

Na quarta-feira, a Câmara de Barcelos divulgou, em comunicado, que foi alvo de buscas, decorrentes de “denúncia anónima”.

No comunicado, a câmara acrescentou que “manifestou total disponibilidade e colaboração com as autoridades competentes, tendo facultado o acesso a toda a informação e documentação solicitada”.

O executivo municipal aguarda com toda a tranquilidade o desenrolar da investigação”, referia ainda o comunicado.