pescador

 

Embora não se tenha a certeza de que o pescador tenha desaparecido no rio, as operações começaram na zona do Barreiro, em terra e no estuário do rio Tejo, com uma lancha.

 

«As informações que temos são de que ele disse à família que ia apanhar amêijoa na zona do Barreiro, mas não sabemos se acabou por ir ou não», disse o responsável à Lusa.

Devido às condições atmosféricas não serem as «mais favoráveis», as autoridades ainda estão a ponderar o recurso a um helicóptero.