Caça a ladrão de banco acaba com tiros em bairro

PSP prende três assaltantes, mas continua no encalço de um quarto suspeito

Por:
   |   21 de Maio de 2012 às 12:16
Quatro homens de cara tapada e armados assaltaram esta manhã uma dependência da Caixa de Crédito Agrícola, em Almargem do Bispo, Sintra, segundo apurou a TVI24. Ao assalto seguiu-se uma caça ao homem que acabou no «Bairro da Bósnia» com a PSP recebida à pedrada, ao que respondeu com tiros.

Por volta das 10:00, três dos suspeitos entraram na dependência bancária e com recurso a uma arma de fogo sequestraram as pessoas que lá se encontravam e forçaram a entrada no cofre. De seguida, fugiram com uma quantidade em dinheiro ainda por apurar. No exterior, aguardava-os um quarto suspeito, dentro de uma viatura.

Ao contrário da informação anteriormente prestada, a PSP esclareceu que os suspeitos furtaram uma viatura em Vialongo e depois de efetuarem o assalto seguiram para o bairro situado em Casal de Câmbra.

«Já no local abandonaram o veículo, entraram numa casa e trocaram de roupa», explicou fonte da PSP.

Apesar da manobra de diversão, a PSP conseguiu deter três dos suspeitos, mas um deles continua em fuga.

A operação da PSP acabou por gerar vários confrontos entre os moradores do bairro e as autoridades. Segundo informação da PSP à TVI24, os agentes foram recebidos no bairro «à pedrada». «A PSP viu-se obrigada a efetuar disparos para o ar para repor a ordem», adiantou fonte oficial da PSP.

Na sequência dos confrontos dois agente ficou ferido e um casal foi detido, por agressões aos agentes e por alegadamente terem tentado impedir a detenção dos suspeitos.

Neste momento, a PSP ainda está no local a tentar serenar os ânimos no bairro. Os três detidos estão já na esquadra a aguardar a chegada da PJ.

Notícia atualizada
Partilhar
EM BAIXO: Assalto
Assalto

COMENTÁRIOS

PUB
PT ameaça levar Banco de Portugal a tribunal

Portugal Telecom diz que regulador se tem recusado a disponibilizar informação que considera necessária para apurar responsabilidades no âmbito do processo ligado ao BES. Empresa quer «obter integral ressarcimento dos danos que lhe foram provocados»