A DECO Proteste testou 20 produtos hidratantes para lábios e descobriu que 14 "contêm substâncias potencialmente perigosas para a saúde”, derivadas do petróleo.

Na lista divulgada pela Associação de Defesa do Consumidor de hidratantes labiais a não comprar estão batons das marcas Continente, Aptonia, Labello, Maybelline, Johnson’s, Eucerin, Carmex, Vichy, Neutrogena, Avène, La Roche-Posay, Uriage e ainda a vaselina da marca Vasenol.

A melhor opção, de acordo com associação, é o baton da marca Cien, à venda exclusivamente nos supermercados Lidl, que arrecadou a classificação de “Melhor do Teste” e “Escolha Acertada”.

As substâncias perigosas presentes nos 14 produtos são os chamados hidrocarbonetos, que fazem parte da composição dos óleos minerais.

Segundo a nota da DECO, a lei permite a utilização dos óleos minerais em cosméticos “se se conhecerem todos os antecedentes de refinação e se se puder provar que a substância a partir da qual foram produzidos não é carcinogénica”.

Contudo, a presença destas substâncias em produtos que podem ser engolidos, como no caso dos hidratantes labiais, é potencialmente perigosa. Assim, os hidrocarbonetos não devem fazer parte destes cosméticos, por se suspeitar que são cancerígenos.

Posto isto, a Associação de Defesa do Consumidor aconselha que se evite hidratantes de lábios que incluam os seguintes componentes:

  • cera microcristallina ou microcrystalline wax;
  • ceresin;
  • hydrogenated microcrystalline wax;
  • hydrogenated polyisobutene;
  • ozokerite;
  • paraffin ou parafina;
  • paraffinum liquidum;
  • petrolatum;
  • polybutene;
  • polyethylene;
  • polyisobutene;
  • synthetic wax.

Estas substâncias em cosméticos para aplicar na pele, como cremes hidratantes, não representam perigo para a saúde, porque a quantidade absorvida é mínima.