O posto de comando da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) instalado em Fátima para a peregrinação internacional de maio registou, até às 22:00 desta quinta-feira, dois feridos graves em 322 ocorrências.

Fonte do Centro Tático de Comando (CETAC) da ANPC disse à agência Lusa que os dois feridos graves foram transportados aos hospitais de Torres Novas e de Leiria, um com problemas renais e outro do foro cardíaco.

As 322 ocorrências registadas pela Proteção Civil entre as 14:00 e as 22:00 de hoje incluíram ainda 17 feridos ligeiros e 15 peregrinos "perdidos" dos seus grupos na deslocação a Fátima.

Veja também: cerca de 500 operacionais dos bombeiros, GNR e INEM em Fátima

O hospital de campanha do INEM instalado a três quilómetros do centro de Fátima, numa zona industrial, tem todo o tipo de valências, inclusive bloco operatório e cuidados intensivos.

Cerca de 500 operacionais dos bombeiros, GNR e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas também da Cruz Vermelha, Proteção Civil e Corpo Nacional de Escutas garantem a segurança e primeiros socorros aos peregrinos de Fátima.

A Operação Fátima 2016 da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) envolve 300 operacionais, está no terreno hoje e sexta-feira "e visa assegurar a prestação de assistência e socorro aos peregrinos" que participam nas cerimónias religiosas, refere, em comunicado, aquele organismo.

A operação, coordenada pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, inclui um posto de comando operacional, localizado no exterior do centro de saúde de Fátima, junto à chamada rotunda norte da cidade, onde se integra um Centro Tático de Comando (CETAC), "meio vocacionado para a gestão e coordenação de eventos e ocorrências de proteção civil de elevada complexidade, longa duração ou grande dimensão", afirma.

O INEM montou um hospital de campanha e possui meios próprios de emergência médica, onde se incluem duas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), quatro moto 4 e 51 operacionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de emergência, técnicos operadores de telecomunicações de emergência, psicólogos e farmacêuticos, entre outros.

Já a GNR anunciou na quarta-feira em conferência de imprensa que terá no terreno cerca de 200 militares, em cada um dos dois dias, de várias valências, como a investigação criminal, cinotecnia, ordem pública, dispositivo territorial, inativação de explosivos, trânsito e operações especiais, que se encontram apeados, auto, de bicicleta, de moto e a cavalo.

Portugal está preparado para responder a todas as situações de Proteção Civil

O secretário de Estado da Administração Interna disse esta quinta-feira que Portugal está preparado para responder a todas as situações de Proteção Civil, destacando o exemplo do dispositivo operacional instalado hoje e sexta-feira, em Fátima.

"Portugal está preparado para dar resposta em todas as situações na área da Proteção Civil. A Proteção Civil está bem montada e consolidada e esta operação em Fátima é algo de excecional, pela positiva, é uma grande infraestrutura de apoio aos cidadãos", disse o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, à agência Lusa, à margem de uma visita ao Centro Tático de Comando (CETAC) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O secretário de Estado alertou os peregrinos, que por estes dias se deslocam ao santuário de Fátima, especialmente os que se caminham a pé, para o fazerem "com todos os cuidados".

"Mas é fundamental que saibam que, na eventualidade de ocorrer qualquer situação de socorro e emergência, qualquer situação que não é desejável, na retaguarda há uma estrutura disponível para dar resposta", frisou.

Além da visita ao CETAC, responsável pela coordenação dos cerca de 500 operacionais de vários organismos que estão no terreno no âmbito da operação Fátima 2016, Jorge Gomes visitou o hospital de campanha do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), instalado a cerca de três quilómetros do centro da cidade, junto à autoestrada do Norte (A1), e que dispõem de assistência diferenciada em ambiente pré-hospitalar, incluindo valências como cuidados intensivos ou permitindo a realização de cirurgias, caso necessário.

"Mete inveja a muito bom hospital deste país", observou o governante.

O comandante operacional nacional da ANPC, José Manuel Moura, frisou que o dispositivo no terreno "tem, sobretudo, muito planeamento" e que esse planeamento foi orientado já a pensar em 2017, numa possível visita do Papa a Fátima.

"Razão pela qual este ano os meios não são só do distrito de Santarém, como é tradicional, envolvemos também o distrito de Leiria. Este plano operacional é supra distrital", disse.