A operação para resgatar os escuteiros que se perderam no sábado no Gerês, ao percorrer um trilho, foi concluída com sucesso, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez.

Filipe Guimarães, que falava pouco depois da 01:00, logo após o fim do resgate, explicou que os escuteiros - 24 jovens entre os 15 e os 18 anos e a chefe, mais velha - foram levados até um estradão florestal (caminho) e para junto das ambulâncias para serem transportados para uma casa abrigo em Sistelo, onde estão a pernoitar.

Os elementos do grupo foram vistos por equipas médicas, mas não houve necessidade de transporte até ao hospital. Um jovem sofreu ferimentos ligeiros devido a uma pequena queda e outros apresentavam sinais de hipotermia.

«Eles estavam completamente fora do trilho que estavam a tentar fazer, o trilho da Grande Rota», referiu Filipe Guimarães, referindo estar muita chuva, nevoeiro e vento no local.

Os escuteiros do agrupamento 278, de São Cosme, em Gondomar, perderam-se cerca das 19:40 de sábado no Parque Nacional da Peneda-Gerês e foram localizados às 22:32 na zona de Sistelo, em Arcos de Valdevez.

O alerta do desaparecimento foi dado por dois elementos que decidiram voltar atrás para tentar pedir ajuda, o que conseguiram ao chegar a um estradão florestal. Os bombeiros fizeram esse mesmo percurso para alcançar o grupo, junto à Calçada dos Bicos, e chegaram a conseguir entrar em contacto, via telefone, com a chefe do grupo.

Para o local foram mobilizados 10 veículos e 32 homens, entre meios de resgate de alta montanha da GNR de Arcos de Valdevez, os bombeiros de Arcos de Valdevez e de Monção, os Sapadores de Arcos de Valdevez e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).