"Espero que tenha sido uma situação única e que não se volte a repetir. Aproveite o tempo na prisão para pensar num futuro diferente quando reintegrar a sociedade", disse a juíza presidente, durante a leitura da decisão judicial.








“Eu não estava no meu estado normal, estava alterado. Vivo com muitos remorsos”, disse perante o coletivo de juízes.