Atualizada às 00:20 de 23/08/2013

Uma bombeira de 24 anos morreu e pelo menos nove bombeiros ficaram hoje feridos, um dos quais com gravidade, depois de terem sido cercados pelo fogo que lavra na Serra do Caramulo, no concelho de Tondela, disse o comandante operacional distrital de Aveiro, José Bismarck. O ministro Miguel Macedo já lamentou a tragédia.

O bombeiro com ferimentos mais graves resultantes do incêndio hoje na Serra do Caramulo, no concelho de Tondela, deu entrada, cerca das 22:00, na Unidade de Queimados do Hospital de São João, no Porto.

Segundo disse à Lusa fonte do Hospital de São João, o operacional, colega da bombeira que hoje morreu no mesmo local, encontra-se na sala de emergência do hospital em estado de avaliação.

Dois outros bombeiros que integravam o mesmo grupo de combate aos incêndios foram transferidos para o hospital da sua área de residência, encontrando-se em estado menos grave, informou fonte do Hospital de Viseu, para onde inicialmente foram transportados.

Em declarações tvi24.pt, a Proteção Civil confirmou a morte de uma bombeira, da Corporação de Bombeiros de Alcabideche, que fazia parte de um grupo de elite de combate aos fogos, o Grupo de Reforço de Incêndios Florestais (GRIF) presente no incêndio.

A bombeira estava desaparecida há duas horas e foi encontrada morta. Segundo José Bismarck, em declarações à Lusa, os bombeiros estavam a combater as chamas em Pedronhe, num local onde se tinha registado uma reativação.

«Estavam todos com uma linha de água e houve qualquer fenómeno em que vários bombeiros que estavam na mesma linha foram apanhados pelo fogo», contou, acrescentando que houve ainda viaturas danificadas, mas «pouca coisa».

O comandante operacional distrital de Aveiro disse que o incêndio «estava desfavorável no seu lado sul», ou seja, na zona onde se deu o acidente com o grupo de bombeiros.

No local encontravam-se oito ambulâncias e um helicóptero que transportaram os feridos para o hospital de Viseu.

A bombeira que faleceu tinha uma filha de 4 anos.

Segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, estão no terreno 231 operacionais (225 dos quais bombeiros), 73 veículos. O incêndio deflagrou às 00:25 de quarta-feira, em Silvares.