As empresas de telecomunicações MEO e NOS estão a avaliar e a trabalhar para recuperar os estragos feitos nas suas redes pelo incêndio que lavra no norte do distrito de Leiria, referiram em comunicado as duas companhias.

Segundo a MEO, num comunicado enviado à Lusa, “no terreno estão cerca de 50 técnicos preparados para intervenção imediata nos locais afetados com competências polivalentes ao nível da rede exterior, rede móvel, rede fixa, transmissão e energias”.

“A MEO tem, desde a primeira hora, atuado em parceria com as autoridades nacionais – MAI, ANPC, GNR e SIRESP – no sentido de assegurar as comunicações no apoio ao combate ao incêndio em Pedrógão Grande, assim como no sentido de procurar minorar os seus efeitos na sua rede de telecomunicações móveis e fixas, para garantir uma célere reposição dos serviços afetados e garantir que populações e autoridades possam comunicar sem restrições”, indicou a companhia de telecomunicações.

De acordo com a MEO, a rede da companhia “está em fase de recuperação, estando já restabelecidas parcialmente as comunicações móveis. Adicionalmente, está a ser instalada uma Unidade Móvel Transportada temporária, que está a ser configurada via satélite, prevendo-se total operacionalidade ainda de manhã”.

“Algumas zonas afetadas, apenas por falta de energia, estão já em fase de recuperação. Está a ser feita avaliação da infraestrutura de comunicações afetadas, mas tendo em conta a dimensão do incêndio este trabalho está limitado pelas frentes ainda ativas e ações de rescaldo em curso”, indicou a MEO.

Em nota, a NOS referiu que, “na sequência do incêndio na região de Pedrógão, três estações de rede da NOS foram afetadas, com impacto nos serviços de voz, internet e SMS”.

“A NOS ativou imediatamente os seus planos de contingência e respetivos procedimentos no sentido de uma rápida resolução da situação, estando já equipas suas no terreno”, referiu ainda a empresa de telecomunicações.

A Lusa contactou a empresa de telecomunicações Vodafone, mas ainda não obteve resposta.