Os mais de dois mil agricultores afetados pelos incêndios de Pedrógão Grande e Góis receberam um apoio total de 5,4 milhões de euros, disse esta sexta-feira o Ministério da Agricultura.

Em resposta a questões da agência Lusa, o gabinete do ministro da Agricultura, Floresta e Desenvolvimento Rural informou que foi concedido um apoio total de 5,441 milhões de euros a 2.638 agricultores que sofreram perdas com os grandes incêndios de Pedrógão Grande e Góis, que deflagraram em 17 de junho.

Até mil euros de prejuízos, registaram-se 1.264 candidaturas e um apoio total de 652 mil euros.

A maior fatia do apoio prestado situou-se nos danos até 5.000 euros, com 1.355 agricultores a receberem 3,999 milhões de euros.

Acima de cinco mil euros de prejuízo, apenas se registaram 19 candidaturas, que receberam uma ajuda de 900 mil euros - até 5 mil euros o apoio é a 100%, de cinco a 50 mil é de 85% e entre 50 a 400 mil euros há uma comparticipação de 50%.

Mesmo assim, o valor de apoio prestado não atinge o prejuízo total registado na região.

De acordo com a tutela, o prejuízo total validado "rondou os 6,5 milhões de euros em animais, plantações plurianuais, máquinas, equipamentos, armazéns e outras construções de apoio à atividade agrícola".

"O Ministério da Agricultura disponibilizou um montante de 10 milhões de euros para apoiar os agricultores afetados pelos incêndios da região de Pedrógão, com o objetivo de cobrir todas as necessidades de financiamento resultantes do apuramento dos prejuízos", frisa o gabinete do ministro Capoulas Santos.