A GNR está a realizar, esta quarta-feira, buscas na Quinta da Gregoça, concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, porque seria um lugar frequentado pelo suspeito dos crimes de Aguiar da Beira, apurou a Lusa no local.

As buscas terão começado ao início da tarde de hoje e os jornalistas conseguem observar algumas diligências policiais no terreno, mas só à distância, porque existe um perímetro de segurança naquela zona, na qual é interdita a passagem dos repórteres.

A Quinta da Gregoça está a ser alvo de buscas, porque, ao que a Lusa conseguiu perceber no local, seria um lugar frequentado pelo alegado homicida, que comprava cavalos aos proprietários daquela quinta, com quem tinha uma relação de amizade.

Os proprietários da Quinta da Gregoça estão a acompanhar as buscas policiais à distância.

Proprietário da Quinta não vê Pedro Dias há anos

O proprietário da Quinta da Gregoça, em Sabrosa, Vila Real, onde a GNR realizou buscas à procura do suspeito dos crimes de Aguiar da Beira, disse que não o vê há seis ou sete anos.

Desde que ele foi para África do Sul, isto há seis ou sete anos, que não o vejo, apenas falo com ele ao telefone três a quatro vezes por ano. Aliás, nem sabia que ele tinha tido um bebé”, contou.

Ao início da tarde de hoje, a GNR realizou buscas na quinta porque seria um lugar frequentado pelo presumível homicida, apurou a Lusa no local.

Os jornalistas conseguiram observar algumas diligências policiais no terreno, mas só à distância.

O dono da quinta afirmou que desde que aconteceram os crimes em Aguiar da Beira que a GNR faz visitas diárias ao local, tendo inclusive já sido interrogado.

E acrescentou: “nunca apreenderam nada, como é óbvio”.

No dia em que soube dos crimes e se falou no nome do suspeito, o proprietário relatou que lhe telefonou “logo”, mas o telemóvel estava desligado.

Como é lógico, se o visse nunca o ia ajudar, mas fazia tudo por tudo para que ele se entregasse”, garantiu.

O proprietário relatou que é amigo do suspeito, tendo-o conhecido há 15 ou 20 anos através de um colega em comum.

Depois, desde aí, comprei-lhe o meu primeiro cavalo e nunca mais tivemos negócios”, salientou.

E realçou: “que saiba, não tem outros conhecidos aqui na região”.

Buscas concentradas na zona de Vila Real

A GNR mantém um dispositivo no terreno para tentar deter o suspeito dos crimes de Aguiar da Beira, centrando atenções na zona de Vila Real, avançou hoje à Lusa o responsável pelas relações públicas da GNR, major Marco Cruz.

O homem procurado hoje na Quinta da Gregoça é suspeito de matar um militar e um civil, em Aguiar da Beira, distrito da Guarda, além de ter causado ferimentos a outras duas pessoas, uma delas também militar da GNR, e tem sido procurado pela GNR e pela Polícia Judiciária desde o dia 11, data dos primeiros acontecimentos.

Na fuga, o homem terá sido já localizado em Arouca, distrito de Aveiro, de onde será natural, e na zona de São Pedro do Sul, onde um militar da GNR se terá baleado a si próprio, numa queda.

No domingo, uma patrulha da GNR também terá localizado o suspeito, em Vila Real, mas o homem acabou por conseguir novamente fugir.

Na segunda-feira, ao final da tarde, junto à aldeia de Carro Queimado, foi encontrada a viatura que o homem terá roubado em Arouca para se deslocar até Vila Real.

Em Arouca, o homem também terá sequestrado duas pessoas, causando-lhes igualmente alguns ferimentos.