Pedro Botas emigrou para os Estados Unidos em 2005, com 13 anos, e hoje é contabilista em Newark, Nova Jérsia. Mas, nos últimos dias, o sonho americano ganhou contornos de pesadelo. Por causa de Donald Trump, por causa da decisão do presidente em revogar o DACA, um programa que protegia os jovens indocumentados que chegaram ao país em crianças.

Confessa-se, por isso, "assustado".

Se eles acham que somos criminosos…”, lamenta, em conversa com a TVI24.

Pedro Botas não tem dúvidas que sem o DACA, e com a sua profissão, será muito difícil que alguém o queira empregar, e aceita até a possibilidade de regressar a Portugal

Se consegui adaptar-me aos Estados Unidos, também iria adaptar-me a Portugal", acredita.

Pedro é um entre milhares de jovens emigrados, centenas no caso de portugueses, que poderão ser afetados pela decisão de Trump em acabar com (mais) um programa implementado por Barack Obama.

O DACA - Deferred Action for Childhood Arrivals (Ação Diferida para Imigração Infantil, na tradução), foi criado em 2012, para evitar a deportação de imigrantes que chegaram ilegalmente aos Estados Unidos antes dos 16 anos e que lhes atribui, por um período de dois anos, com possibilidade de renovação, o direito a estudar ou trabalhar nos Estados Unidos, com adiamento de deportação pelo mesmo período mediante o cumprimento de certas condições (como a inexistência de registo criminal). 

Para a administração Trump este programa representa um abuso do poder executivo, que viola a lei de imigração dos Estados Unidos. Como tal, dá seis meses ao congresso para legislar de forma a ‘legalizar' o DACA. Se os congressistas forem incapazes de chegar a acordo para aprovar legislação no sentido de permitir a permanência dos imigrantes abrangidos pelo DACA, cerca de 800 mil pessoas indocumentadas deverão perder o direito a estudar ou trabalhar nos EUA. A perda de direitos culmina na deportação.

Questionado sobre se confiava no congresso para, em tão pouco tempo, encontrar uma solução legislativa para estes 800 mil imigrantes, Pedro Botas mostra-se resignado.

Tenho de confiar”, diz. 

Foi, aliás, devido à inexistência de legislação que Barack Obama implementou, por ação executiva, o DACA. E foi talvez por estar ciente de que o congresso tem sido incapaz de legislar sobre esta matéria em particular que Donald Trump publicou na quarta-feira um tweet afirmando que, "se o congresso não conseguir [legalizar o DACA]", irá "rever o assunto".