O Ministério Público (MP) deduziu acusação contra nove arguidos suspeitos da prática de centenas de crimes de pornografia infantil entre 2010 e 2012, revelou esta terça-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

De acordo com a página da Internet da PGDL, os nove arguidos estão acusados da autoria de centenas de crimes de pornografia de menores agravado e de pornografia de menores. Um dos arguidos está ainda acusado de um crime de abuso sexual agravado.

Os factos decorreram nos anos de 2010, 2011 e 2012 e, de acordo com a PGDL, a acusação incide em crimes praticados através da Internet, sendo que as vítimas são crianças e bebés. Num dos casos, um dos arguidos é pai de uma das vítimas.

Este processo resulta de uma investigação da Europol, realizada em setembro de 2011, da qual resultaram a identificação dos endereços de IP¿s (identificação de um computador) dos arguidos residentes em Portugal.

Os nove arguidos encontram-se em prisão preventiva. O inquérito foi dirigido pela 2.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal do Ministério Público de Lisboa, escreve a Lusa.