A Assistência Médica Internacional (AMI) vai iniciar esta quinta-feira um peditório nacional que decorre durante os próximos quatro dias, até domingo. Centenas de colaboradores e voluntários vão fazer a recolha dos donativos que servirão para apoiar 25.500 pessoas carenciadas até ao final do ano.
 
A iniciativa - é já o 23º peditório da organização - está inserida na campanha SOS Família, sob o lema «Sobreviver não é maneira de viver». Realiza-se na rua e em espaços comerciais por voluntários credenciados, não sendo permitidos quaisquer pedidos porta a porta, refere a Fundação AMI, num comunicado citado pela Lusa.

Durante estes quatro dias, os colaboradores e voluntários vão «apelar à solidariedade dos portugueses, com o objetivo de angariar fundos para as famílias mais carenciadas apoiadas pela AMI em Portugal».

Até ao final deste ano, a ação social da AMI prevê apoiar 25.500 pessoas, entre o acompanhamento direto prestado pelos equipamentos e respostas sociais (8.398 pessoas apoiadas no primeiro semestre) e a distribuição alimentar, através do Fundo Europeu de Auxílio a Carenciados.

PAra se ter uma ideia, em média, os equipamentos sociais da AMI apoiaram todos os meses 3.474 pessoas, entre as quais 278 novos casos de pobreza.  Em 2013, a AMI registou, em média, 409 novos casos de pobreza por mês, ano em que 4.912 pessoas procuraram pela primeira vez os apoios sociais da organização.  Recorreram diretamente à AMI, no ano passado, 15.802 pessoas, mais 0,2% face a 2012, o valor mais elevado em 19 anos de intervenção da organização em Portugal.

Além do peditório, as pessoas podem dar o seu donativo através do Multibanco: Transferências> Ser Solidário> AMI ou da internet www.loja.ami.org.pt.