A Associação Sindical dos Profissional da Polícia (ASPP/PSP) manifestou-se preocupada com a saída do secretário de Estado adjunto da ministra Administração Interna, temendo que possa afetar as negociações do novo estatuto da PSP.

«Estamos preocupados. Espero que a saída do secretário de Estado não tenha qualquer impacto no processo negocial em curso sobre o estatuto profissional da PSP», disse à agência Lusa o presidente da ASPP, Paulo Rodrigues.

O secretário de Estado Adjunto da ministra da Administração Interna, Fernando Alexandre, pediu a demissão do cargo, confirmou à agência Lusa fonte oficial do ministério, que não avançou os motivos da saída.

Fernando Alexandre, que lidava diretamente com os assuntos relacionados com as duas principais forças de segurança, pede demissão numa altura em que o Ministério da Administração Interna (MAI) está a negociar o estatuto profissional da PSP com os sindicatos, tendo a proposta inicial do MAI gerado contestação por parte dos polícias.

O presidente do sindicato mais representativo da PSP desconhece os motivos da saída, mas considerou que o secretário de Estado estava «bem dentro dos assuntos» da Polícia e fez parte da preparação de alteração ao estatuto profissional.

Já a Associação Profissional da Guarda (APG/GNR) desvalorizou a saída do secretário de Estado, considerando que «não agrava ainda mais a situação» na GNR.

O presidente da APG, César Nogueira, disse à Lusa que a associação reuniu algumas vezes com Fernando Alexandre para debater algumas matérias da GNR, «mas nenhuma questão foi resolvida».

«Pouco ou nada se avançou na resolução dos problemas e nas reuniões nada transmitia», afirmou, sublinhando que «não é uma grande perda».

O presidente da associação profissional mais representativa da GNR considerou ainda que devia existir no MAI «mais estabilidade».

O estatuto profissional da GNR ainda não começou a ser discutido, mas, segundo César Nogueira, a ministra da Administração Interna convocou as associações profissionais para sexta-feira.

O economista e professor na Universidade do Minho Fernando Alexandre entrou para a equipa do ex-ministro da Administração Interna Miguel Macedo em abril de 2013.