O ex-vice-presidente do Sporting Paulo Pereira Cristóvão foi detido esta manhã, em Lisboa, pela Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária, por suspeita de «fornecer informação» para assaltos à mão armada, sequestros e associação criminosa, confirmou a Polícia Judiciária à TVI.

O também ex-inspetor da Polícia Judiciária é suspeito de «fornecer informações úteis aos autores materiais» de crimes roubo e sequestro na zona de Lisboa e Setúbal, nomeadamente a passagem de «informação útil sobre as vítimas» à associação criminosa a que pertencia, sendo um dos «mentores» dos roubos e sequestros perpetrados pelo grupo.

Em comunicado, a PJ revela que, em inquérito titulado pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), deteve três homens, dos 37 e os 49 anos, presumíveis autores da prática dos crimes de associação criminosa, sequestro, roubo qualificado, usurpação de funções, abuso de poderes e detenção de armas proibidas. Ou seja, além de Paulo Pereira Cristóvão, outras duas pessoas foram detidas.

«Os agora detidos, juntamento com outros doze suspeitos, estes já detidos em meados do ano passado, alguns deles pertencentes a uma força de segurança, integravam uma organização criminosa dedicada ao roubo no interior de residências, que simulavam tratar-se de verdadeiras acções policiais para cumprimento de buscas domiciliárias judicialmente ordenadas, tendo mesmo, nalguns casos, utilizado as suas próprias fardas para assim melhor credibilizarem as suas acções», refere a nota.


Um dos outros detidos é um elemento da claque leonina «Juve Leo» conhecido por «mustafá», que pertence à direção da claque.

No decurso da operação policial foram cumpridas oito buscas domiciliárias e não domiciliárias, tendo sido apreendidos elementos de prova.

Paulo Pereira Cristovão foi detido no âmbito de uma investigação que em julho de 2014 já tinha levado à detenção de 12 pessoas por sequestro, roubo e usurpação de funções. Destas, oito arguidos, incluindo três polícias, ficaram em prisão preventiva. Os restantes quatro arguidos ficaram sujeitos a apresentações periódicas diárias às autoridades.

Na mesma altura, a PJ referiu que os crimes ocorreram nos distritos de Lisboa e Setúbal, tendo em alguns dos casos sido utilizada a violência e a coação para que as vítimas fornecessem informação sobre os locais onde se encontravam escondidas quantias monetárias, objetos e produtos com valor acrescentado.

Paulo Pereira Cristovão foi vice-presidente do Sporting durante o mandato de Luiz Godinho Lopes, depois de ter sido candidato à presidência do clube, tendo perdido para José Eduardo Bettencourt.