Nas buscas judiciais ao gabinete do secretário de estado das Finanças, Paulo Núncio, os investigadores do caso "Vistos Gold" recolheram documentos sobre um alegado favorecimento fiscal em sede de IVA à empresa Inteligent Life Solutions - produtos e soluções na área da saúde, situada em Lisboa.

O governo diz que a Justiça recolheu dados no computador de um funcionário da secretaria de estado das Finanças e Paulo Núncio garante não ter emitido qualquer despacho relacionado com o caso em investigação

A investigação ao caso dos vistos dourados diz ainda que o arguido Jaime Gomes, ex-sócio e amigo do antigo Ministro da Administração Interna, agiu no interesse da ILS ao pedir a Miguel Macedo e ao então diretor nacional do SEF, Manuel Palos, que desbloqueassem os entraves diplomáticos que impediam a emissão de vistos de residência aos cidadãos líbios. 

Já sobre o alegado favorecimento fiscal, em agosto de 2014, Jaime Gomes é escutado a dizer que sobre "a questão do iva, o ministro teve conhecimento disso e também esteve envolvido".

Miguel Macedo, que se demitiu na sequência do processo "Vistos Gold", continua a aguardar a resposta ao pedido para ser ouvido no inquérito. 

O processo Vistos Gold investiga crimes de corrupção e tráfico de influências na atribuição de vistos dourados.