O ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse esta quarta-feira que Portugal está disponível para apoiar Cabo Verde na vigilância epidemiológica do vírus do Ébola, que continua a alastrar-se em outros países da África Ocidental, como Serra Leoa e Libéria.

Paulo Macedo, que falava aos jornalistas para fazer o balanço da visita de dois dias a Cabo Verde, disse que as autoridades de saúde cabo-verdiana ainda não pediram qualquer apoio, mas garantiu que, caso venha a acontecer, Portugal está disponível para ajudar na prevenção.

Cabo Verde ainda não registou qualquer caso de Ébola, mas o Governo reforçou a vigilância nos Portos e Aeroportos do país para estar preparado para agir adequadamente.

A ministra da Saúde cabo-verdiana, Cristina Fontes Lima, disse, na semana passada, que o perigo de entrada do vírus em Cabo Verde «existe» e que o país tem de fazer tudo e estar preparado para agir «rapidamente», com ações de prevenção e seguir todas as instruções.

Paulo Macedo confirmou que Portugal vai apoiar a Guiné-Bissau com 15 toneladas de medicamentos para prevenir o Ébola, mas sublinhou que Cabo Verde não corre os mesmos riscos com esta epidemia, que desde janeiro alastra-se pela África Ocidental, tendo já causado centenas de mortos na Libéria e na Serra Leoa.