O Ministério da Saúde (MS) anunciou que irá abrir «muito em breve» um concurso, para colocar os 175 médicos que concluíram o internato de Medicina Geral e Familiar, em abril.

O anúncio do Ministério da Saúde surge em resposta às declarações do vice-presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral, Rui Nogueira, à agência Lusa, em que afirmou que o Governo «abriu um concurso para 200 médicos de família que não existem e não abre um concurso para 187 que terminaram o internato médico em 30 de abril».

Questionado pela Lusa sobre esta situação, uma fonte do MS avançou que o ministério «irá abrir um concurso para colocar os 175 médicos que concluíram o internato de Medicina Geral e Familiar na primeira época de 2014». «É esse o objetivo», reforçou o departamento governamental.

«Esteve a ser feito o levantamento das vagas a definir em cada ARS [Administração Regional de Saúde] e vai ser aberto muito em breve» um concurso, adiantou o MS, numa resposta escrita enviada à Lusa.

Sobre o concurso aberto no início de abril, para recrutar 200 médicos de família para o Serviço Nacional de Saúde (SNS), o ministério revelou que «tem muitos concorrentes (124)».

«O prazo do concurso termina na terça-feira, mas dos concorrentes sabemos que uma grande parte são médicos não vinculados ao Serviço Nacional de Saúde. Portanto, o concurso foi aberto para médicos, que existem mesmo, alguns estavam no estrangeiro e estão a voltar», sublinhou a fonte do MS, respondendo assim às críticas de Rui Nogueira.

Segundo a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), os 200 médicos serão distribuídos pelas cinco Administrações Regionais: 82 ficam na ARS Algarve, 50 na ARS de Lisboa e Vale do Tejo, 27 na ARS Alentejo, 21 na ARS Norte, 20 na ARS Centro.

Segundo a ACSS, os médicos irão serão exercer atividade em «diversos serviços desconcentrados», em Agrupamentos de Centros de Saúde.

No decurso do último ano, foram efetuadas pelo Ministério da Saúde 1.700 novas contratações de médicos, adianta a ACSS.