O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, disse hoje que demitiu o presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), Paulo Campos, “por recomendação” da Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS).

“O ministro da Saúde acompanhou aquilo que foram as recomendações da Inspeção Geral das Atividades em Saúde, tudo dentro daquilo que é a normalidade jurídica e a normalidade do funcionamento do Estado”, afirmou aos jornalistas, à margem da cerimónia de apresentação do novo Conselho de Administração do Centro Hospitalar de São João, no Porto.

Adalberto Campos Fernandes demitiu o presidente do INEM na segunda-feira à tarde, conforme proposta da IGAS, que analisou a atuação deste dirigente.

A IGAS investigou a atuação de Paulo Campos - suspenso de funções desde outubro de 2015 - na alegada interferência que este terá tido no transporte de uma doente, em helicóptero do INEM, do Hospital de Cascais para o de Abrantes.

“Não há nenhuma descredibilização do INEM, o INEM é uma instituição de referência, uma instituição constituída por profissionais muito dedicados e empenhados. O país precisa de confiar no INEM e o ministro da Saúde confia no INEM”, sustentou o governante.

Adalberto Campos Fernandes salientou que, para já, Luís Meira está na presidência do INEM e que vai ser aberto “de imediato” um processo concursal nos termos da lei.