Manuela Duarte Neves, coordenadora do departamento jurídico da Raríssimas, afirmou, esta quinta-feira em entrevista à TVI24, que Paula Costa e Brito não está a comandar os funcionários à distância e que não tem acesso à instituição.

"A generalidade dos funcionários da Raríssimas não obedecem já a instruções da doutora Paula Brito e Costa", afirmou a coordenadora, reiterando que não está "a dar garantia nenhuma".

As declarações de Manuela Duarte Neves surgem depois da demissão formal de Paula Costa e Brito como presidente da associação, mas não como diretora geral da mesma.

"Esta senhora tinha uma dupla qualidade nas funções que exercia na Raríssimas. Era presidente e também tem um contrato de trabalho com a Raríssimas na qual exerce as funções de diretora", afirmou, acrescentando ter a certeza de que Paula Costa e Brito não se demitiu do segundo cargo.

Questionada se, por não se ter demitido enquanto diretora geral, Paula Costa e Brito poderia ter acesso a toda a documentação da Raríssimas, a coordenadora garantiu que não.

"A doutora não está na instituição nem vai à instituição, julgo eu, desde segunda-feira. Não tem acesso", afirmou Manuela Duarte Neves.

Manuela Duarte Neves disse ainda que "duvida que seja verdade" que os utentes da Casa dos Marcos tenham sido impedidos de ver a reportagem da TVI.