A Câmara da Nazaré tem preparado um «plano B» caso as previsões de ondas grandes obriguem a deslocalizar espetáculos na passagem do ano, altura em que será aumentada a vigilância no areal, onde se esperam milhares de visitantes.

«Este ano a praia vai ser mais vigiada, com Polícia Marítima e nadadores-salvadores, porque estamos atentos às previsões de ondas de grandes dimensões e queremos que a festa decorra com todas as condições de segurança», disse à Lusa o presidente da Câmara da Nazaré, Walter Chicharro.

O mau tempo que tem assolado o país nos últimos dias e com a tragédia dos cinco alunos universitários no Maeco ainda presente, a Nazaré prefere apostar na segurança.

O aumento da segurança e a realização de «um plano B prevendo a deslocalização de palcos e de espetáculos caso as condições atmosféricas sejam adversas» são algumas das novidades da festa de passagem de ano na Nazaré, organizada em parceria pela câmara e pela empresa municipal Nazaré Qualifica.

«A montagem dos palcos vai ser estratégicamente atrasada até o mais próximo possível da data para que, de acordo com as previsões sobre a altura das ondas, nos seja possível afastar a concentração de pessoas no areal para mais perto da praça e mais longe do mar», explicou o autarca.

O mesmo acontece com a deslocalização de espetáculos que poderá ser ditada pelas previsões de mau tempo e que levaram a autarquia a decidir «alterar o programa inicial», que previa, nos dias 28 e 29, a apresentação do ballet «Quebra-nozes», no palco da Praça Sousa Oliveira.

Antecipando a possibilidade de chuvas o espetáculo da Academia de Ballet e Dança Annarella «será transferido para o cine-teatro, onde o público poderá assistir mais mais confortavelmente ao bailado, de forma gratuita», adiantou Walter Chicharro.

A vila - que um estudo do motor de busca Trivago coloca em 8.º lugar nas lista dos locais preferidos pelos portugueses para festejarem a passagem do ano - deverá este ano «manter ou até mesmo aumentar tanto os visitantes de fora como o número de habitantes que irão optar em não ir para fora», espera o autarca.

Para isso a organização apostou num programa que decorrerá em três palcos: um na Praça Sousa Oliveira (onde atuará uma banda), outro em frente à Rua dos Galeões (com DJ) e outro no Sítio (Terreiro), que contará com a atuação de uma banda.

A animação dos palcos contará, pela primeira vez, com o horário reduzido até às 04:00, para «incentivar a que o público frequente os bares e restante comércio local e contribua para a dinamização económica num ano em que os hóteis têm transmitido a expetiva de conseguirem ocupações muito sgnificativas», afirmou o presidente.

Como é tradição, a despedida do ano velho e entrada no novo será acompanhada com a projeção em raio laser, no promontório, da contagem decrescente até à meia-noite e do espetáculo pirotécnico, no areal.

Apesar de o orçamento ter sido reduzido para 40 mil euros, o autarca assegura que o espetáculo será «ainda mais completo, com o fogo-de-artifício acompanhado de música», numa demonstração de que «é possível gerir melhor os recursos da autarquia e proporcionar uma comemoração com muita folia, animação e segurança», c0mo cita a Lusa.