A Associação de Bares da Zona Histórica do Porto (ABZHP) pediu esta sexta-feira maior fiscalização do consumo de bebidas alcoólicas por parte de menores na noite de passagem de ano, quer na via pública quer em espaços de animação noturna.

A Passagem de Ano é para muitos adolescentes a primeira incursão na animação noturna, assim como em certos vícios, seja pela euforia da época, ou por más influências”, refere a associação em comunicado.

Recordando notícias recentes sobre o consumo de bebidas alcoólicas por menores, a ABZHP considera que tal “só acontece por culpa da atual legislação, a qual não tem qualquer eficácia, aliás, tal já acontecia com a lei anterior que proibia a menores de 16 anos”.

A Associação de Bares da Zona Histórica do Porto recomenda às autoridades que não deixem de fiscalizar o consumo de bebidas alcoólicas na via pública, onde os menores recorrem ao fenómeno do ‘bottelon’”, pede a ABZHP que “também sugere o ‘aperto’ aos empresários que não cumpram a lei vigente, seja na venda das bebidas a menores, como também na segurança e higiene”.

Segurança com "padrões internacionais"

O dispositivo de segurança para a noite de passagem de ano no Porto cumpre "padrões internacionais", estando preparado para "riscos imprevisíveis", garantiu o presidente da câmara, Rui Moreira.

Todos sabemos que hoje há riscos assimétricos. Acreditamos que fazemos o possível para fazer face a riscos mais imprevisíveis. Temos colaborado com o Governo e o Governo connosco e seguimos os padrões internacionais", disse Rui Moreira quando questionado sobre medidas excecionais face a eventuais ameaças terroristas.

O autarca participava numa conferência de imprensa ao lado de responsáveis da PSP, bem como ligados à proteção, sessão na qual não foi revelado o número de efetivos que estará no terreno na noite de 31 de dezembro para 01 de janeiro, domingo para segunda-feira, mas foi frisada a convicção de que "o Porto está preparado" e de que "Portugal é um país seguro".

Os efetivos serão os necessários e adequados em função do histórico [de anos anteriores] e das análises e perspetivas atuais. Portugal é um país seguro e a cidade do Porto também", disse o primeiro comandante da Polícia de Segurança Pública (PSP) do Porto, Ângelo Sousa.

O responsável enumerou algumas das medidas preparadas, somando ao chamado policiamento de proximidade com agentes fardados e carros patrulha, as brigadas de investigação criminal, inteligência policial e unidades especiais de polícia.

Adotaremos medidas excecionais de segurança. Algumas serão visíveis e outras não tão visíveis. A cidade do Porto está preparada para uma noite de Passagem de Ano que se pretende tranquila", disse Ângelo Sousa.

Nesta sessão também foram frisados os apelos para que as pessoas que decidam aceder à Baixa do Porto para assistir aos diferentes espetáculos e ao fogo-de-artifício o façam com recurso aos transportes públicos ou privilegiem o uso de parques periféricos.