A 85ª Feira do Livro de Lisboa, instalada no parque Eduardo VII, arranca esta quinta-feira e prolonga-se até dia 14 de maio. Serão, portanto, 15 dias de um evento que marca o final da primavera na capital portuguesa. A organização espera receber 600.000 visitantes. 

A cerimónia de inauguração, às 16:00, na Praça Amarela conta com as presenças do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, da vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, e do presidente da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), João Alvim.

Novidades


A iniciativa "Acampar com histórias" é uma delas. Trata-se de uma parceria com as Bibliotecas Municipais e para a qual se prevê a participação de 120 crianças entre os oito e os 12 anos, que vão passar uma noite na Estufa Fria, entre livros e contos.

Outra novidade é um espaço dedicado à gastronomia com a instalação de uma cozinha onde se realizarão várias demonstrações culinárias.

Na feira, está prevista a participação do presidente da Federação dos Editores Europeus, Pierre Dutilleul, que fala hoje sobre os direitos de autor e a pirataria, numa conferência marcada para as 18:00, que vai contar também com a participação do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, e de João Alvim.

Outras presenças destacadas pela APEL são a da copresidente da Federação Europeia e Internacional de Livreiros, Kyra Dreher, que participa numa sessão sobre a lei do preço fixo do livro, e a do presidente da Associação Internacional de Editores, Richard Charkin, que falará sobre os constrangimentos internacionais aos direitos de autor e a luta contra pirataria.

No âmbito do certame irá decorrer o I Encontro Literário "Nós e os livros", e a Fundação Francisco Manuel dos Santos vai promover um ciclo de 11 debates sobre a economia portuguesa, o parlamento e o ensino, entre outros temas.

A Feira está aberta até 14 de junho, e conta com diversa atividades, nomeadamente apresentações de livros, sessões de autógrafos e debates.