Outubro ainda não começou, mas já estará a dar dores de cabeça ao Governo. É que o próximo mês, que arranca já no domingo, deverá ser marcado por várias paralisações, sobretudo no setor da Saúde. Em 31 dias, quase metade (14) poderá ter greves.

Primeiro são os enfermeiros. O Sindicato dos Enfermeiros (SE), afeto à CGTP, agendou uma greve para os dias 3, 4 e 5 de outubro. Mas os protestos destes profissionais de Saúde podem não ficar por aqui. A Federação Nacional dos Sindicatos de Enfermeiros (FENSE), da qual faz parte o SE e o Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE), já ameaçou fazer greve de 16 a 21 de outubro.

No próximo mês haverá também greve dos médicos: dia 11 no norte do país, dia 18 no centro e dia 25 no sul.

As paralisações na Saúde continuam com os protestos dos técnicos de diagnóstico. Os sindicatos afetos à UGT vão fazer greve no dia 12 de outubro enquanto o Sindicato dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica, da CGTP,  vai parar dois dias: 12 e 13.

Pelo meio, há ainda uma greve dos inspetores da ASAE, no dia 9 de outubro.

As contas podem não estar ainda fechadas: na Justiça, os juízes e procuradores já ameaçaram com greves caso a renegociação dos seus estatutos não seja aprovada pelo Governo.

 

Veja o calendário das greves para o próximo mês: