Papa: anúncio de resignação foi ato de «coragem e de fé»

Diz o bispo de Viseu

Por: tvi24 / LF    |   11 de Fevereiro de 2013 às 14:44
O bispo de Viseu, Ilídio Leandro, considerou que o anúncio da resignação feito esta segunda-feira pelo papa Bento XVI foi «um ato de coragem e de fé».

«De coragem, porque era necessário vencer toda uma tradição que não aponta para ser normal um ato destes», justificou Ilídio Leandro, em declarações à agência Lusa.

Na opinião do prelado, foi também um ato «de muita fé, porque vê-se que tomou esta atitude por amor à Igreja e por sentir que as suas forças já não permitiam conduzir a barca de Pedro (a Igreja) nos momentos e nas circunstâncias em que é necessário vigor, determinação, firmeza e aquela presença que, pela doença, já não poderia ter».

Neste âmbito, e apesar de admitir ter ficado surpreendido, o bispo de Viseu afirmou que este anúncio o enche «de alegria e de confiança de que o espírito santo conduz e orienta a Igreja».

Ilídio Leandro disse que o pontificado do papa Bento XVI durante estes quase oito anos foi para si «uma surpresa pela clareza que imprimiu à vida da Igreja».

«Depois do papa João Paulo II, penso que era necessária uma reflexão profunda sobre os aspetos fundamentais da teologia e da vida interna da Igreja», explicou.

No seu entender, Bento XVI, «nas encíclicas que escreveu, numa linguagem muito clara mas muito a trazer ao de cima os aspetos fundamentais da fé cristã e das virtudes fundamentais do cristianismo, relevou uma capacidade que, à partida, poderia não supor-se num homem que esteve tantos anos à frente da Congregação para a Doutrina da Fé».

O bispo de Viseu sublinhou também a «firmeza quando à tomada de posição e às permanentes alusões, com pedidos de desculpa», relativamente à polémica da pedofilia.

O «refletir os valores, as virtudes inerentes à mensagem cristã com as encíclicas, muitos discursos e muitas tomadas de posição», e «a firmeza com que enfrentou questões morais», como a pedofilia, são os dois aspetos que considera mais marcantes do pontificado.

O papa Bento XVI, 85 anos, anunciou hoje, durante um consistório no Vaticano, a sua resignação a partir dia 28 de fevereiro devido «à idade avançada».

Um novo papa será escolhido até à Páscoa, a 31 de março, disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, anunciando que um conclave deve ser organizado entre 15 e 20 dias após a resignação do pontífice.

O último chefe da Igreja Católica a renunciar foi Gregório XII, no século XV (1406-1415).
PUB
Partilhar
COMENTÁRIOS

PUB
Governo nega ter sido forçado a fazer alterações ao IRS

A ministra de Estado e das Finanças negou esta sexta-feira que o Governo tenha sido «forçado a fazer alterações» à proposta de reforma do IRS, e considerou que houve informação dada com base numa versão preliminar do diploma. «Aquilo em que os senhores jornalistas, aparentemente, se basearam foi na primeira versão para discussão e não naquela que resultou do pós-discussão», acrescentou a ministra.