Papa: anúncio de resignação foi ato de «coragem e de fé»

Diz o bispo de Viseu

Por: tvi24 / LF    |   11 de Fevereiro de 2013 às 14:44
O bispo de Viseu, Ilídio Leandro, considerou que o anúncio da resignação feito esta segunda-feira pelo papa Bento XVI foi «um ato de coragem e de fé».

«De coragem, porque era necessário vencer toda uma tradição que não aponta para ser normal um ato destes», justificou Ilídio Leandro, em declarações à agência Lusa.

Na opinião do prelado, foi também um ato «de muita fé, porque vê-se que tomou esta atitude por amor à Igreja e por sentir que as suas forças já não permitiam conduzir a barca de Pedro (a Igreja) nos momentos e nas circunstâncias em que é necessário vigor, determinação, firmeza e aquela presença que, pela doença, já não poderia ter».

Neste âmbito, e apesar de admitir ter ficado surpreendido, o bispo de Viseu afirmou que este anúncio o enche «de alegria e de confiança de que o espírito santo conduz e orienta a Igreja».

Ilídio Leandro disse que o pontificado do papa Bento XVI durante estes quase oito anos foi para si «uma surpresa pela clareza que imprimiu à vida da Igreja».

«Depois do papa João Paulo II, penso que era necessária uma reflexão profunda sobre os aspetos fundamentais da teologia e da vida interna da Igreja», explicou.

No seu entender, Bento XVI, «nas encíclicas que escreveu, numa linguagem muito clara mas muito a trazer ao de cima os aspetos fundamentais da fé cristã e das virtudes fundamentais do cristianismo, relevou uma capacidade que, à partida, poderia não supor-se num homem que esteve tantos anos à frente da Congregação para a Doutrina da Fé».

O bispo de Viseu sublinhou também a «firmeza quando à tomada de posição e às permanentes alusões, com pedidos de desculpa», relativamente à polémica da pedofilia.

O «refletir os valores, as virtudes inerentes à mensagem cristã com as encíclicas, muitos discursos e muitas tomadas de posição», e «a firmeza com que enfrentou questões morais», como a pedofilia, são os dois aspetos que considera mais marcantes do pontificado.

O papa Bento XVI, 85 anos, anunciou hoje, durante um consistório no Vaticano, a sua resignação a partir dia 28 de fevereiro devido «à idade avançada».

Um novo papa será escolhido até à Páscoa, a 31 de março, disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, anunciando que um conclave deve ser organizado entre 15 e 20 dias após a resignação do pontífice.

O último chefe da Igreja Católica a renunciar foi Gregório XII, no século XV (1406-1415).
PUB
COMENTÁRIOS

PUB
Grécia: o dia que pode decidir o futuro do projeto europeu

Cerca de 10 milhões de gregos decidem hoje se aceitam ou não as propostas apresentadas pelos credores há mais de uma semana, através de um referendo convocado por Alexis Tsipras. As urnas fecham às 19:00 (17:00 em Lisboa). O caos estendeu-se às sondagens que, espelhando um país dividido, não deixam antecipar nenhum resultado. O boletim tem apenas duas respostas, "Sim" ou "Não", mas o que vai acontecer à Grécia depois do dia de hoje conduz-nos a múltiplos cenários