A trasladação de Eusébio para o Panteão Nacional pode vir a ser adiada, noticia esta quinta-feira o «Diário de Notícias».
 
A cerimónia está prevista para 3 de julho, mas, se não houver uma alteração legislativa, só poderá ocorrer três anos após a morte.
 
Em causa está o facto de Eusébio ter sido sepultado num caixão de madeira e a passagem para o Panteão só poder ser feita num de zinco.
 
O decreto-lei relativo à inumação e trasladação de cadáveres diz que é proibido abrir qualquer sepultura antes de decorridos três anos da morte.
 
A exceção é feita apenas em casos em que exista um mandado judicial.