Notícia atualizada às 12:29

O fogo que lavrou na Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra, entre as 14:00 de segunda-feira e as 01:07 desta terça-feira, consumiu uma área de cerca de 1.000 hectares de floresta, disse à agência Lusa o presidente da Câmara.

Apesar de as chamas terem ameaçado algumas povoações, nomeadamente a localidade de Foz do Ribeiro, que chegou a ser evacuada parcialmente, o autarca José Brito Dias salientou que não se registou destruição de habitações, sendo os prejuízos ao nível do material lenhoso, algumas culturas agrícolas e estradas municipais.

«Não foi ainda possível quantificar os estragos», referiu o presidente da Câmara da Pampilhosa da Serra, salientando que os prejuízos são maioritariamente dos produtores florestais privados e das empresas de celulose.

Segundo José Brito Dias, algumas estradas também ficaram danificadas devido à passagem das máquinas de rasto que «foi necessário colocar no terreno» e que ainda procedem à abertura de faixas de segurança.

As chamas chegaram a ser combatidas por 502 operacionais, apoiados por 147 veículos.

Às 12:00, ainda se mantinha no terreno um dispositivo de 441 bombeiros e 133 veículos, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra.

O incêndio que deflagrou na segunda-feira em Pé da Serra, concelho de Nisa (Portalegre), numa área florestal, está em rescaldo desde as 06:26 desta terça-feira, revelou a Proteção Civil.

O fogo foi dominado às 04:07, entrando em rescaldo cerca de duas horas e meia depois, disse à agência Lusa o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre.

As chamas, que se estenderam também ao concelho de Castelo de Vide, igualmente no distrito de Portalegre, queimaram uma área florestal de eucaliptos, assim como mato e pasto.

Os trabalhos de rescaldo continuam a mobilizar 317 operacionais, apoiados por 91 viaturas, incluindo meios dos bombeiros, da GNR e do Exército.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil registou, na segunda-feira, 87 incêndios que envolveram no seu combate 3471 operacionais, apoiados por 943 veículos.