A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) concluiu o pagamento aos bombeiros voluntários de todas as despesas extraordinárias relativas aos incêndios de 2017 em cerca de 19 milhões de euros, indicou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI).

“A Autoridade Nacional de Proteção Civil já procedeu ao pagamento às associações humanitárias de bombeiros voluntários de todas as despesas extraordinárias, apresentadas e validadas, relativas aos incêndios rurais de 2017, num montante global de cerca de 19 milhões de euros”, informa uma nota do ministério tutelado por Eduardo Cabrita, enviada à Lusa.

Segundo o MAI, o Governo saldou, no ano passado, um montante de cerca de 12,6 milhões de euros referente a despesas extraordinárias com combustíveis, refeições e reparações, após a devida validação das faturas enviadas pelas associações humanitárias de bombeiros à ANPC.

O MAI adianta que este ano, e no mesmo âmbito, a ANPC pagou os cerca de sete milhões de euros restantes do montante global, após apresentação e validação das faturas de despesa.

“Consciente do importante papel dos bombeiros portugueses no sistema de proteção civil, o Governo cumpre desta forma as suas obrigações no âmbito da circular financeira referente do verão de 2017, documento que é anualmente consensualizado com a Liga dos Bombeiros Portugueses”, adianta a nota do MAI.

Em 2017, os incêndios florestais consumiram mais de 500 mil hectares de floresta e provocaram 121 mortos.