O Ministério Público (MP) de Santa Maria da Feira deduziu acusação contra cinco homens e três mulheres suspeitos de terem roubado clientes de prostitutas naquele concelho e no de Ovar.

Segundo a acusação do MP, a que a Lusa teve hoje acesso, os factos ocorreram entre março e abril de 2014, tendo sido identificadas oito vítimas, que ficaram sem mais de 7.000 euros e vários objetos em ouro.

De acordo com a investigação, as arguidas atraiam os clientes para a prática de atos sexuais em locais previamente selecionados onde, depois, apareciam os cúmplices que os agrediam e ameaçavam com uma arma branca, roubando-lhes dinheiro e objetos pessoais.

Os arguidos, que atuavam encapuzados, obrigavam ainda as vítimas a revelar os códigos dos cartões bancários, com os quais efetuavam levantamentos e aquisições de bens de consumo, vestuário, eletrodomésticos, material informático e outros objetos facilmente transacionáveis.

Os suspeitos, residentes em Vila Nova de Gaia, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) em maio do ano passado, na sequência de uma operação policial de largo alcance, que mobilizou mais de meia centena de funcionários de investigação criminal e que incluiu a realização de mais de uma dezena de buscas.

No decurso destas diligências, as autoridades apreenderam uma arma caçadeira, vários gorros e outros objetos utilizados no exercício daquela atividade criminosa, assim como inúmeros bens adquiridos com os cartões bancários das vítimas.

Na altura, a PJ referiu que alguns dos suspeitos têm "vastos antecedentes criminais" pela prática dos mais diversos tipos de crime, mas onde pontificam essencialmente os crimes de sequestro, roubo, furto e lenocínio.

Os arguidos, com idades entre os 17 e os 49 anos, estão acusados pelo MP dos crimes de sequestro e roubo. Dois deles respondem ainda em tribunal por um crime de detenção de arma proibida.

Três dos arguidos estão em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional Central, em Leça do Balio, a aguardar o início do julgamento, que está marcado para a próxima quarta-feira, no tribunal de Santa Maria da Feira.