O Organismo Europeu de Luta Antifraude (OLAF) lançou, em 2014, sete operações na União Europeia, duas das quais envolveram autoridades portuguesas, segundo o relatório de atividades de 2014 da entidade.

Segundo o relatório, das sete operações de luta antifraude desenvolvidas no ano passado na União Europeia (UE), a Réplica, de grande dimensão, teve como alvo o contrabando de tabaco e envolveu todos os Estados-membros da UE, bem como a Noruega, a Suíça e a China, tendo resultado na apreensão de mais de 1,2 milhões de bens contrafeitos e 120 milhões de cigarros.

Uma outra operação, a Ícaro, – de vigilância marítima, coordenada pela França e com o objetivo de combater o contrabando de bens no Atlântico - envolveu as autoridades alfandegárias de Portugal, Espanha, Irlanda, Reino Unido, Itália, Alemanha e Holanda.

O relatório refere ainda que as ações do OLAF permitiram recuperar, em 2014, 901 milhões de euros, verba que será incluída no orçamento comunitário.

Por outro lado, Portugal, entre 2007 e 2014, recebeu dez recomendações judiciais do OLAF, tendo já decidido sobre seis, com cinco arquivamentos e uma acusação.