Centenas de pessoas fizeram fila esta quinta-feira de manhã frente ao Hospital da Ordem Terceira, em Lisboa, para marcar um exame de colonoscopia.
 
Este é um dos poucos hospitais privados que realiza colonoscopias pelo Serviço Nacional de Saúde, em Lisboa, segundo apurou a reportagem da tvi24.

Perto de 400 pessoas concentraram-se à porta do hospital à espera de vez esta manhã, condicionando a rua, obrigando a polícia a gerir o trânsito e as filas, conforme documentam as imagens.

Algumas pessoas até dormiram à porta da unidade de saúde, de acordo com testemunhos.

Luís Torres, administrador do hospital, em declarações à tvi24, explicou as razões de tanta confusão:

“Temos acordo com a ARS (Administração Regional de Saúde) há muitos anos. A justificação que temos para isso é que existem – não confirmado – mas onze ou doze sítios com acordo com a ARS para fazer colonoscopias, em Lisboa, mas, verdadeiramente, só nós e outros, estamos a aceitar marcações. (Ou fazemos mais exames. Não sei). Nós, de há muito tempo para cá, optámos por não marcar exames para daqui a um ano, tentámos fazer quatro períodos trimestrais e cada trimestre abrimos dois dias ou três de marcações e fazemos marcação para três meses”.

Luís Torres acrescenta que a “colonoscopia com anestesia exige mais meios e, sobretudo, mais tempo, tenho uma capacidade de fazer dez exames por dia. Uma média de 150 ao mês. Não consigo fazer mais”.

“Tenho a noção que presto um mau serviço por causa desta gente toda, mas ainda presto um serviço. Ou seja, ainda há esperança, mesmo com esta confusão, das pessoas fazerem o exame”, concluiu Luís Torres.


Esta quinta-feira foram distribuídas 150 senhas. As colonoscopias pelo Serviço Nacional de Saúde ficam entre os 14 e os 48 euros com anestesia. No privado, podem custar 200 euros.