Com um «défice» de operacionais, os Bombeiros de Marvão estão a desenvolver uma campanha de recrutamento de voluntários junto dos jovens da terra, tarefa «difícil» de alcançar num concelho onde a maioria da população é idosa.

«Há aqui um défice de elementos entre os 16, 17 anos e os 23, 24 anos, digamos que é o grupo do músculo», lamentou o comandante da corporação, Carlos Franco, em declarações à agência Lusa.

«Como nós bombeiros temos de ter muita formação, estamos a fazer o recrutamento, a tentar angariar mais voluntários nesta faixa etária para colmatar algumas saídas», explicou.

O quartel está situado na freguesia rural de Santo António das Areias, uma vez que a vila histórica de Marvão, no distrito de Portalegre, apresenta artérias de difícil acesso e incompatíveis para a ação de um corpo de bombeiros.

Formados em 2002, os Bombeiros Voluntários de Marvão são uma das corporações mais jovens do país, contando com um efetivo de 35 elementos, situação que nem sempre é fácil de gerir.

«Nem todos têm a mesma operacionalidade, havendo elementos que têm mais disponibilidade, principalmente os mais novos, enquanto os mais velhos, como têm trabalho regular e família, têm sempre menos disponibilidade e é aqui que começam um pouco as nossas dificuldades», explicou.

A campanha decorre até dezembro com o objetivo de reunir um grupo de jovens para iniciar formação, mas os bombeiros preveem continuar a realizar a operação de angariação de voluntários em 2014.

Numa primeira fase, os Bombeiros de Marvão já conseguiram assegurar duas ou três pessoas que se ofereceram como voluntárias, mas até dezembro esperam que o número aumente, desenvolvendo, por isso, ações de sensibilização, campanhas porta a porta e simulacros, entre outras iniciativas.

«Na faixa etária dos seniores recebem-nos muito bem, que é com quem inicialmente conseguimos falar durante o dia. Ainda não há grande feedback por parte da juventude, mas de qualquer das formas os mais novos que vamos apanhando dizem-nos que têm interesse», relatou.

«Os jovens estão num impasse, não só pela situação que o país vive, mas parece que não têm esperança no futuro e para virem para os bombeiros penso que não estão apelativos. Se calhar ainda não conseguimos despoletar esse interesse», acrescentou.

De acordo com o comandante, existe um espaço no pensamento dos jovens que ainda não conseguiu entender, nomeadamente desde que «manifestam interesse» em ingressar nos bombeiros até ao período de entrarem «efetivamente» na corporação.

A Lusa acompanhou uma das ações de sensibilização dos bombeiros, nomeadamente na zona industrial e num estabelecimento comercial no centro de Santo António das Areias, tendo verificado que a população está recetiva ao desafio.

«Eu penso que é muito importante, devido ao que se passou nos fogos deste ano. Precisamos de mais bombeiros, com mais formação e penso que poderá ser uma boa iniciativa por parte dos bombeiros», disse à Lusa Tânia Mouratinho, funcionária pública.

A campanha dos Bombeiros Voluntários de Marvão tem como lema «Necessitamos da tua ajuda e a nossa comunidade também», sendo direcionada para os habitantes entre os 16 e 45 anos.