A Guarda Nacional Republicana (GNR) retoma na sexta-feira e no sábado a «Operação Baco», de fiscalização à condução sob influência de álcool e de substâncias psicotrópicas e combate à criminalidade.

Em comunicado enviado à Lusa, a GNR refere que estão previstas 645 ações de fiscalização, envolvendo um efetivo de 1.715 militares da Unidade Nacional de Trânsito, dos comandos territoriais e da Unidade de Intervenção.

As ações de fiscalização «serão direcionadas para as vias onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação (sobretudo nos acessos a estabelecimentos de diversão noturna) e existam dados ou indícios da prática de ilícitos de natureza criminal».

No âmbito da «Operação Baco», foram testados desde o início do ano «779.496 condutores, dos quais 18.302 conduziam com taxa de álcool superior ao permitido por lei, tendo 6.844 destes condutores sido detidos por conduzirem com taxa crime (igual/superior a 1,20 gramas de álcool/litro de sangue)».

«Perante estes números, o combate à sinistralidade rodoviária continua a ser uma prioridade estratégica da GNR, estando planeadas diversas operações nacionais, com empenhamento intensivo e simultâneo de meios de modo a maximizar a capacidade de intervenção», sublinhou a GNR.